Selecione o critério de pesquisa através dos menus abaixo e clique em Buscar para realizar a pesquisa.

Moto Peças Martins Queiroz - S Central

Conheça um pouco mais sobre , cidade onde o estabelecimento se encontra:
Rio Verde é um município brasileiro do interior do estado de Goiás, Região Centro-Oeste do país. Segundo estimativas de 2018, sua população é de 229.651 habitantes, sendo o quarto mais populoso de Goiás, ficando atrás apenas da capital Goiânia e das cidades de Aparecida de Goiânia e Anápolis. A ocupação do sudoeste Goiano se deu no início do Século XIX com a isenção de pagamento de impostos por 10 anos pela Lei nº 11 para criadores de gado bovino e equino na região sul de Goiás. Por volta do ano de 1840, chegam a região de Rio Verde José Rodrigues de Mendonça, sua esposa, Florentina Cláudia de São Bernardo e filhos se estabeleceram a seis léguas de Rio Verde, no que viria a ser a Fazenda São Tomás. Em 25 de agosto de 1846, José Rodrigues e sua mulher doaram sete sesmarias de Suas terras para o patrimônio da igreja e construção de uma capela em louvor a Nossa Senhora das Dores, A partir daí, surgiu o Arraial de Nossa Senhora das Dores do Rio Verde. Em 5 de agosto de 1848, através da Lei Provincial, a Vila foi elevada à categoria de Distrito de Rio Verde. Vista parcial da cidade de Rio Verde. De acordo com a Lei nº 08 de 6 de novembro de 1854, o povoado de Dores do Rio Verde foi elevado à categoria de Vila. O grande marco de arrancada para o desenvolvimento aconteceu na década de 1970. Com a abertura dos cerrados à agricultura e a chegada das estradas pavimentadas que a ligam a Goiânia e Itumbiara, a agricultura começou a florescer e atraiu produtores do sul e do sudeste do país. Também vieram agricultores americanos que fundaram uma colônia. Todos eles trouxeram maquinários, tecnologias, recursos e experiências que transformaram o município em um dos maiores produtores de grãos de Goiás e um dos destaques do país. Não por outra razão, o poeta Leo Lynce, iniciador da corrente modernista na literatura goiana, no poema "Rio Verde", década de 1940, registra "Rio Verde de agora...que mudança!/ Colmeia de trabalho e de bonança,/ que do progresso brilha no apogeu."