Choose the criteria of research through the menu below and click on "Search".

Top Art - Colina

Conheça um pouco mais sobre , cidade onde o estabelecimento se encontra:
Linhares é um município brasileiro do estado do Espírito Santo. Localiza-se a uma latitude 19º23'28" sul e a uma longitude 40º04'20" oeste, estando a uma altitude de 33 metros. A cidade é banhada pelo oceano Atlântico. Sua população estimada em 2016 é de 166.491 habitantes. Possui uma área de 3504 km². Linhares é a principal cidade do norte capixaba, com alto índice de desenvolvimento. Considerada atualmente como uma das melhores cidades capixabas para investimento financeiro, Linhares encontra-se em ampliação imobiliária sediando inclusive empresas importantes do ramo. Também é a cidade com maior extensão litorânea e maior extensão territorial do estado. Por apresentar vantagens competitivas, logística privilegiada, e uma série de outros atrativos, Linhares desponta como maior pólo de desenvolvimento econômico e social do Espírito Santo. A economia diversificada confere ao município o status de importante cenário para atração de investimentos. Em levantamento feito em 2015 pela consultoria Austin Rating encomendada pela Revista IstoÉ das melhores cidades do país, Linhares foi considerada a quinta melhor cidade de porte médio do Brasil, levando em consideração o desenvolvimento humano e industrial. Ao todo, 475 cidades foram levadas em consideração, sendo Linhares a única cidade capixaba a aparecer no topo do raking nacional. Estudos da FIRJAN apontam que Linhares é a 53º cidade com melhor índices de desenvolvimento e geração de empregos do Brasil, sendo a primeira capixaba no ranking nacional feito em 2013. Linhares é destaque mundial quando se fala em “água”. Apelidada de “cidade das águas”, a cidade norte capixaba é a cidade que mais possui lagoas na América Latina, chegando a marca de 90 lagoas, dentre elas a maior do Brasil, à Lagoa Juparanã e a mais profunda do país, a lagoa das palmas, também no município. Também na cidade é presente o rio doce, onde tem o seu encontro com o oceano Atlântico. Além de muitos outros rios. A cidade também é a que mais possui praias em todo Espírito Santo, em um total de mais de 100 km de litoral. Destacasse que somente em Linhares é presente 84% do total de toda água doce do Espírito Santo. A vigilância ao tráfico de ouro através do rio Doce deu origem ao Povoado de Coutins iniciado pelo senhor Sebastião Ortolani, onde, em 1800, foi implantado o quartel militar, com o mesmo nome, que fazia a proteção da navegação do rio Doce. Os índios do grupo botucudo, nação tapuia ou gê, primeiros donos das terras, resistiam tenazmente a qualquer colonização branca na área, até que sucumbiram diante do poderio das armas às suas, sendo que os colonizadores os dizimaram totalmente. O primeiro povoado foi inteiramente destruído por ataques dos índios botocudos. E em 1809, outro povoado foi levantado no mesmo lugar, recebendo o nome de Linhares, em homenagem a Dom Rodrigo de Sousa Coutinho, o conde de Linhares. O povoado ficava situado num platô em forma de meia-lua, às margens do rio Doce. No leste e no oeste do povoado ficavam situados dois quartéis militares para avisar a população de prováveis ataques dos indígenas: um quartel estava situado onde hoje é o Bairro Aviso. O outro, localizava-se nas proximidades de onde fica hoje o Colégio Estadual. Em 1819, foi feita, por ordem de Francisco Alberto Rubim, uma "Vista e Perspectiva do Povoado de Linhares", e nela, vê-se também a primeira igreja, construída sob o patrocínio de Rubim. O povoado foi construído em volta de uma praça quadrada (atual Praça 22 de Agosto), que guarda até hoje seu traçado original. Nessa praça que os índios dançavam e cantavam no passado. Em abril de 1833, em execução a uma Provisão de Paço Imperial o povoado é elevado a condição de vila, sendo sede do município do mesmo nome - Linhares - sob a proteção de N. S. da Conceição. Provisão de Paço corresponde, hoje, a um decreto do Presidente da República. Em 22 de agosto do mesmo ano, realizou-se a primeira sessão solene da Câmara de Vereadores do Município de Linhares, dando "início a sua vida político-administrativa". Nessa época, o Brasil era império, o Espírito Santo uma província, e era vila, a sede dos municípios; não existindo prefeito, os municípios eram administrados pela câmara de vereadores. Naquela época toda área da região era coberta pela Mata Atlântica, que aos poucos, e no decorrer de um século, foi devastada dando lugar a povoamentos, pastoreio e agricultura. O território do município de Linhares abrangia os que são hoje os municípios de Linhares, Rio Bananal, Colatina, Baixo Guandu, Pancas, São Gabriel da Palha, Sooretama e partes de Ibiraçu, Santa Teresa e Itaguaçu. No final do século XIX, a Vila de Linhares entrou em decadência e o povoado de Colatina, que pertencia ao município de Linhares, conheceu rápido crescimento graças à colonização italiana com o plantio de café e a inauguração dos trilhos da Estrada de Ferro Vitória - Minas. Assim, por decreto de 30 de dezembro de 1921, ficou criado o município de Colatina, englobando a vila e o antigo município de Linhares. Esse fato contribuiu mais ainda com a decadência de Linhares verificada durante os 22 anos seguintes.